Projetos

Gerenciamento de Projetos

APAGÃO DE TALENTOS: Como ser uma luz nesta escuridão?



*Odilon Medeiros

O Brasil está numa em uma ótima fase no que se refere aos aspectos ligados à produção. Duvida? Então, consulte os dados recentes do IBGE. Eles apontam para o fato de que, a atividade industrial, em nível nacional no primeiro semestre expandiu 1,7% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

O aumento na produção, quase sempre, representa novas contratações e, ao mesmo tempo, mais investimentos em desenvolvimento tecnológico, independente da área. Esses novos processos precisam de pessoas capacitadas para conduzi-los de modo a trazer retorno sobre o investimento realizado. Mas, onde estão esses profissionais? Difícil encontra-los…

Para que se possa ter uma ideia, no Brasil, a falta de profissionais qualificados é a maior preocupação de 71% dos CEOS entrevistados na pesquisa “Global CEO Sudy 2010”, realizada pela IBM.

E o que é pior: há uma carência geral, já que engloba profissionais de todas as áreas e de todos os níveis.

Devido a essa situação, está havendo um movimento de certa forma, inusitado. Estrangeiros, inclusive de países do primeiro mundo, estão aprendendo o português e querendo vir morar no Brasil para aproveitar essas oportunidades.

Neste cenário, surge um questionamento: como os profissionais brasileiros podem tirar proveito desta situação? E a resposta é: investindo na sua empregabilidade. Para fazer isso, o primeiro passo é ter consciência de que o profissional é quem é o responsável pelo desenvolvimento da sua carreira. Aquela época na qual apenas a empresa investia no desenvolvimento do profissional passou. O problema, nesta situação, é que muita gente não se deu conta desta mudança e ainda está aguardando que chegue alguém para investir na sua carreira.

A partir desta consciência, é importante fazer cursos, seminários ou palestras, ler muito sobre o ramo que deseja atuar, trabalhar bem o seu marketing pessoal, investir no networking, fazer cadastramento em grupos virtuais de relacionamento profissional e investir na comunicação. Ser proativo, dinâmico e auto motivado. É fundamental lembrar de fazer tudo isso com seriedade e comprometimento e buscar apresentar diferenciais.

Atualmente existem muitas maneiras de reduzir esse apagão: cursos a distancia (EAD), aumento do número de instituições de ensino, flexibilização nos pagamentos dos valores das mensalidades, etc. Tudo para facilitar a vida de quem não tem tempo, não tem dinheiro, não tem…, não tem…, não tem… E tem um monte de desculpas para dar.

Saiba que qualquer pessoa pode contribuir para acabar com esse apagão. Inclusive você.

Assim, seja a luz que as empresas procuram!

Odilon Medeiros – Mestre em Administração, Especialista em Psicologia Organizacional, Pós-graduado em Gestão de Equipes, MBA em Vendas, consultor e palestrante nacional sobre tópicos ligados à gestão com pessoas. www.odilonmedeiros.com.br 

Anúncios

novembro 29, 2011 Posted by | artigo | , , | Deixe um comentário

De quem a Apple tirou a idéia do Iphone e do Ipad?


Fonte: Neoplace Blog

A história das gigantes de software e tecnologia do Vale do Silício é marcada por usurpação de idéias, violações de direito autoral e apropriação descarada de projetos e conceitos de umas pelas outras; Não raro os criadores de uma solução genial são furtados por outras empresas (ou espertalhões de tecnologia, vulgo ‘piratas de silício’)  que usurpam a fama, projeção e lucros do criador original. Foi assim com a Apple, a Microsoft ou mesmo o Facebook.

No caso da Apple a usurpação de idéias alheias está impregnada em seu DNA… Seu primeiro Sistema Operacional e Computador Pessoal foram usurpados da Xerox pelo Steve Jobs e sua trupe; Bill gates – que esteve filiado a Apple em seus primórdios – usurpou as idéias e projetos da Apple para criar uma cópia mal azambrada de seu sistema operacional  (o Windows) para substituir o DOS (que a Microsoft roubou da ‘Digital Research’ (que faliu algum tempo depois)).

No caso do Iphone e Ipad, as principais características que diferenciam os aparelhos vieram de outras empresas, pessoas ou engenheiros. Um dos principais exemplos é o sistema de multi-toque a a Apple, utilizado primeiramente no Iphone, que foi lançado pela apple no final de junho de 2007 e mais tarde ampliado e extendido para universo dos Tablets.

Ora, já em 2006 escrevi  sobre o sistema projetado por Jeff Han, cientista da ‘New York University’s Courante Institute Mathematical Sciences’ que desenvolveu um dispositivo ‘interface-free’: Foi o primeiro Tablet moderno apresentado ao mundo, na TED Talks, em janeiro de 2006. A apresentação e matéria podem ser vistas aqui. Observem que muitas das coisas que a Apple apresenta como inovações suas já estavam presentes no dispositivo.

No começo de 2007 a Microsoft apareceu na mídia se apropriando descaradamente da criação de Han (que, diga-se de passagem, continua como cientista de universidade, sem participação de lucro na Apple nem na Microsoft). O anúncio do novo e revolucionário sistema da Microsoft pode ser visto aqui.

Neste ponto as ações da Apple em razão da Google, alegando que as ‘inovações’ de seu iOS foram integrados ao Android, são – no mínimo – intrigantes; Por certo as limitações da natureza humana são fatores que facultam sua evolução (pontos e características negativas são sublimadas e tornam-se fatores de destaque e diferenciação (ex. Os maiores especialistas em nanismo do mundo são anões, pessoas com problemas gastro-intestinais tem maior probabilidade de se tornarem especialistas no assunto, etc)). Talvez a mesma espécie de diversionamento subjetivo interno explique pque assassinos dormem com uma arma embaixo do travesseiro, pque cleptomaniacos temem que amigos os roubem ou porque a Apple é tão reservada e fechada em relação às suas idéias e propriedade intelectual. 

novembro 13, 2011 Posted by | Texto | , , , , , , | Deixe um comentário