Projetos

Gerenciamento de Projetos

Cinco dicas para iniciar um novo negócio


Tungado do Blog Marketing Empreendedor

1. Só porque sua mãe e seu melhor amigo pensam que é uma boa idéia, isso não quer dizer que seja “a verdade”.

Quando você estiver na fase da “idéia” do novo negócio, divida com o maior número possível de pessoas, principalmente para “potenciais clientes”.  Divida com estranhos. Divida com empreendedores de sucesso, se possível com alguém que conheça do ramo de atividade. Divida com especialistas em novos negócios, consultores.                             E o MAIS IMPORTANTE: Converse com POTENCIAIS CLIENTES.

2. Existe uma grande diferença entre uma hipótese de potencial mercado para um produto ou serviço e um “mercado testado”.

Nunca inicie um negócio baseado apenas em um pressuposto de que consumidores irão comprar seu produto ou serviço. Só porque você criou o melhor “suporte para copos” já produzido na história da humanidade, isso não significa que consumidores o comprarão. Volte a idéia de “Converse com POTENCIAIS CLIENTES” e teste sua hipótese, quanto mais você testar mais assertividade você terá. Você não imagina quantas idéias e sugestões irá encontrar nessas conversas.

3. Apaixone-se por sua idéia

Apaixone-se por sua idéia de negócio, mas não case com ela ainda. Conheço muitos empreendedores que estão apaixonados por suas idéias de negócios, por suas empresas de tal forma que não conseguem se dar conta de que essa “paixão” está lhes fazendo mal, simplesmente por ser uma má idéia de negócio.  Se “todo mundo” está lhe dizendo que não é uma idéia tão boa assim, ou que é uma má idéia – será que todos estão errados e só você está certo? Não se apegue a esses pensamentos, siga em frente, adapte sua primeira idéia ou até mesmo tente outro modelo de negócio!

4. Iniciar um novo negócio é mais simples do que você imagina. Manter um novo negócio é muito mais difícil do que você pode imaginar.

Iniciar um novo negócio é realmente muito simples. Centenas, milhares de novas empresas são abertas no Brasil todos os anos. Mas grande parte destas “quebram” nos primeiros anos de atividade. Uma vez aberta a empresa, busque sempre conselho de empreendedores mais experientes, consultorias, treinamento, estude muito. Estude seus concorrentes e busque se diferenciar deles, você deve fazer algo diferente dos seus concorrentes e algo melhor que eles. Ouça seus clientes com muito cuidado e atenção, eles são seu bem mais precioso e uma fonte inesgotável de informações e o melhor de tudo: Eles fazem isso de graça. Coloque muita força e disposição para “tocar” o seu negócio, não existe segredo, o resultado que você irá alcançar depende do tamanho do esforço que fizer.

5. Agora o mais importante: Busque a felicidade sempre!          

Certa vez ouvi de um amigo que trocou uma carreira de sucesso em um grande banco pela vontade de empreender, que devemos sempre buscar a felicidade. Esse conselho faz todo sentido para mim e me esforço sempre para buscar a felicidade, em tudo o que faço. Penso que só acumular riquezas e status social é muito pouco para uma vida, por tanto: Busquem a felicidade sempre!

agosto 14, 2013 Posted by | Uncategorized | , , | Deixe um comentário

O uso estratégico das patentes em domínio público


Fonte: Revista Perspectiva ISAE – edição de Agosto de 2013

99,7% do conhecimento mundial é de livre uso no Brasil

Crédito: SXC

Os documentos de patentes contêm conteúdo exclusivo

A maioria das empresas brasileiras ainda acredita que inovação só é possível em grandes empresas que possuem recursos materiais, técnicos e humanos disponíveis para realizar investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). No entanto, a P&D representa apenas uma das fontes de inovação. Existem outras formas de inovar, tais como a pesquisa em Bancos de Patentes e, mais especificamente, as informações contidas nesses nestes documentos, que na maioria das vezes, não possui proteção no Brasil. Tal mecanismo é tão poderoso quanto negligenciado pelas empresas brasileiras.

Para ter uma ideia, do montante do conhecimento acessível desta forma, dados da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) mostram que o número de patentes concedidas no Brasil representa apenas 0,3% do número de patentes concedidas no mundo. Ou seja, aproximadamente 99,7% do conhecimento que tem dono no mundo são de livre utilização no Brasil.

Além disso, diversos estudos demonstram que por volta de 80% do conteúdo contido nos Bancos de Patentes não é revelado por nenhum outro meio de comunicação. Ou seja, os documentos de patentes contêm conteúdo exclusivo, que não é divulgado por nenhuma outra fonte.

As tecnologias em domínio público não são apenas aquelas cujo período de vigência da patente expirou, mas também aquelas em que os pedidos foram arquivados por falta de pagamento de taxas e, especialmente, as que não foram depositadas no Brasil por seus titulares por qualquer razão. Tecnologias não protegidas no Brasil ou em domínio público são de livre utilização para quem quiser explorá-las, Sem necessidade de pedido de licença, pagamento de royalties ou qualquer outra formalidade.

É claro que o conhecimento em domínio público não poderá ser patenteado no Brasil, a menos que se realize algum aperfeiçoamento ou alteração significativa.

Os Bancos de Patentes podem ser acessados gratuitamente, via internet, por qualquer interessado nos bancos de patente públicos. Mas, para os projetos de maior porte, vale a pena contratar um profissional experiente da área, que realize as buscas em softwares comerciais, que permitem acesso a um maior número de informações, de forma mais selecionada.

Logo, aflora a importância da utilização desse mecanismo como forma de alavancar a inovação nas empresas e, por consequência, do país, extremamente acessível às empresas de todos os portes e setores econômicos.

agosto 12, 2013 Posted by | Uncategorized | , , , | 1 Comentário